BlindTec 24 – Window-Eyes descontinuado e as implicações para usuários de leitores de tela

Salve, galera!

Neste episódio, Marlon Sousa (splyt) comemora a sua volta aos microfones da BlindTec e nos conta novidades e estripulias de sua vida pessoal que explicam em parte esta longa ausência dos microfones.

Além disso, contamos em primeira mão alguns dos bastidores do novo site de turismo e entretenimento para deficientes visuais que a Atena lançou, o www.blindando.com.br.

Analisamos também em detalhes todas as implicações da descontinuidade do leitor de telas Window-eyes e de outros movimentos importantes da indústria da tecnologia assistiva que poderão influenciar diretamente a sua vida, mesmo que a princípio isso não pareça ter nada a ver com você.

E, de lambuja, você fica com uma excelente trilha sonora, como já é de praxe, durante todo o episódio!

Fiquem ligados, e uma ótima diversão viajante e informativa para todo mundo!

Novidades

Blindando no ar!

Se você quer ouvir histórias sobre experiências de deficientes visuais com viagens, intercâmbio entre outros,, fique ligado no site www.blindando.com.br.
Nele, a Atena e este que vos fala e escreve contam muitas de suas experiências de um jeito que, acreditamos, falará com outros deficientes visuais de uma maneira que ninguém ainda falou. Escrevemos sobre experiências às cegas para outros cegos e isso, por si só, já é um convite mais do que especial para que você nos visite. Boas viagens para todos!

Morcegos, em ação!

Durante boa parte de Maio, enquanto este podcaster finalizava, em fim, a sua pós graduação, rolou um convite para que a Atena e ele fossem ao nordeste do Brasil, mais especificamente para a cidade de Ubajara no estado do Ceará, a mais de 350 KM de Fortaleza, sua capital.

O motivo do convite? Fazer um trabalho voluntário com a escola para cegosMorcegos em Ação, brilhantemente idealizada e mantida pela extraordinária Anja Pfafenzeller, uma alemã deficiente visual radicada no Brasil já há alguns anos que decidiu fazer a diferença. Não dava para recusar, certo?

O Blindando trará mais detalhes dessa história, mas aqui gostaria de mandar um abraço especial aos alunos e a equipe e dizer que de todos os envolvidos este podcaster foi quem mais aprendeu. Valeu, pessoal!

Notícias

E o leitor de telas Window-Eyes foi descontinuado. O anúncio rolou no começo do último mês de maio e apenas confirmou o que já era esperado desde o ano passado, quando a fusão entre a Freedom Scientific, fabricante do JAWS For Windows, e da AISquared que fabricava o Window-Eyes foi anunciada.

Aliás, em Junho de 2016, a BlindTec fez uma cobertura detalhada dos eventos relacionados a esta fusão e vale bastante a pena ouvir ou relembrar, dependendo de a quanto tempo você acompanha o portal.

A descontinuidade do Window-Eyes oficializa a total falta de concorrência no mercado de leitores de tela comerciais, visto que agora existe apenas o JAWS for Windows nesta arena.

Poucos dias após a oficialização da descontinuidade, um outro anúncio surpreendeu a muitos analistas, incluindo este que vos escreve: o Paciello Group, uma das principais consultorias de acessibilidade americanas, foi adquirida pelo mesmo grupo que agora detém a produção do JAWS.

Assim, uma mesma holding possui agora a fabricação única de hardware, leitor de telas, ampliador e adquire um poder de influência sem qualquer precedente sobre o que é considerado acessível ou não para websites e aplicativos em geral.

Mas o que isso significa exatamente?

Usuários do JAWS

Significa que a pressão para a criação de novos recursos de acessibilidade e a qualidade e manutenção do que já existe está ameaçada, já que nada mais concorre e não há qualquer perigo imediato para a fabricante do leitor de telas. Significa também que a política de preços, antes já com regulamentação fraca, poderá passar a não ter qualquer critério, o que fará com que aquela vaga que você pode estar pleiteando em uma empresa fique ainda mais difícil porque o preço do leitor de telas ficou ainda mais alto.

NVDA

A NVAccess tem alguns riscos bem interessantes no radar:

  • A ameaça direta de receber um número massivo de processos por quebras de patentes e similares, estratégia amplamente usada pela fabricante do JAWS contra concorrentes comerciais. Na falta desses, ainda não sabemos qual a postura do novo grupo contra literalmente o único concorrente ainda existente, por mais que este não seja tão focado em suporte a produtos corporativos.
  • Queda de financiamento por empresas de mercado. Ainda não há como saber qual o poder de lobbing do grupo fabricante do JAWS, mas seria razoável supor que haja pressão para que os financiamentos para a NVAccess parem de chegar por parte de algumas empresas.
  • Com o poder econômico da VFO crescendo, a Microsoft pode decidir seguir o mesmo caminho da Apple e Google e dar foco ao narrator como um leitor de telas profissional. Este seria um excelente movimento, mas é preciso saber se a Microsoft continuaria a apoiar a NVAccess tanto em termos financeiros quanto em termos de suporte, caso decidam ter seu próprio leitor de telas profissional.
  • Desenvolvedores em geral

    Do ponto de vista de validação, o que é considerado acessibilidade? Algo que funcione ou algo que funcione … para o JAWS? Com a aquisição do Paciello Group a tendência é que a segunda opção seja ainda mais verdade.
    Sendo o JAWS o leitor de telas que possivelmente adere menos aos padrões de acessibilidade, a probabilidade de que grandes sites se adequem ao que funciona para ele e não aos padrões especificados aumenta bastante. Isso pode tornar a vida de usuários de outros leitores de tela, tais como o Narrator, o NVDA, o VoiceOver e o TalkBack algo relativamente mais difícil.

    Conclusão

    Faz bastante tempo que a indústria de tecnologia assistiva está precisando se adequar a uma nova realidade onde leitores de tela gratuitos tendem a dominar o mercado. As fusões e aquisições sempre foram, e falamos isso desde ao menos Novembro de 2015, algo esperado. Isso não significa, entretanto, que boas coisas para os usuários resultem necessariamente desses movimentos.

    O que podemos fazer é, neste momento, apoiar a NVAccess afim de que esta organização se mantenha forte e irmos nos acostumando a usar o NVDA.
    Para o apoio, você já pensou em doar r$ 50 por ano para eles? Se todos fizerem isso, já vai ajudar bastante. Nem ouso a pensar o que aconteceria se todos no mundo o fizessem.
    Para nos acostumarmos a usar o NVDA, a BlindTec vai fazer uma série de ações em podcasts e em artigos, e você é mais do que convidado a ouvir, ler e também participar. Aliás, por falar em participar, se você souber inglês também pode relatar bugs e sugestões para os desenvolvedores, eles levam tudo em consideração.

    © Copyright BlindTec 2017, todos os direitos reservados.
    Para mais detalhes, consulte a página de direitos autorais do portal.
    Gostou do post? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Google+Share on LinkedIn

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda o desafio abaixo * Tempo limite espirado. Por favor recarregue o desafio